_____________________________________

Potranca Selvagem

Frederico Amitrano Toda manhã ela passa Trotando formosamente Exibindo sua raça: Seus lindos e afiados dentes Bela potranca eu vejo passar Com sua anca pra lá e pra cá Quem dera eu me agarrar à sua crina E galopar nesse belo animal Animal selvagem que empina Se assustada ou se lhe fizerem mal E em […]

Read more...

Prazer em desconhecer

Frederico Amitrano Eu lhe recalco Você me forclui Me nega, me tira, me exclui De tudo que sendo deixa de ser Prazer em desconhecer… Eu sonho Você delira Nem sei se é verdade ou mentira Se tudo é como se vê Prazer em desconhecer… Torturas, carinhos, vinganças Eu quebro nossa aliança E volto sem saber […]

Read more...

Toc

Frederico Amitrano Toc, toc,toc Faz o som no assoalho em altas horas Confiro a porta, vou pra cama Confiro a porta, vou pra cama Confiro a porta, confiro a porta Vou pra cama Toque, toque, toque Diz a voz na minha mente completamente matemática São quatro numa e quatro noutra São quatro numa e quatro […]

Read more...

Vazio

Frederico Amitrano E lá se vai o último e cabível trago No estômago cheio de um homem vazio Que chora o que bebe porque bebe o que chora Então vai- se embora nas águas de um rio E ginga com o vento Tropeça na sombra E o mundo se assombra Com sua ousadia E vira […]

Read more...

Vidas Paralelas

Frederico Amitrano Você com alguém e eu sem ninguém Você com alguém e eu também Você sem ninguém e eu, muito bem Eu sem ninguém, você com alguém Duas vidas paralelas como dois trilhos de trem Correm juntas e só se encontram No infinito ou mais além   Obra registrada na Biblioteca Nacional  

Read more...
 Page 3 of 8 « 1  2  3  4  5 » ...  Last »