Devotos

É lindo esse amor que me devotas
Aliás, devotos somos um do outro
Me sinto quase um religioso
Peregrinando em teus caminhos
Em tuas rotas
É lindo ver- te ajoelhada ante mim
Venerando o meu falo
E o beijas tão devotamente
Que por um segundo de repente
Esqueço- me que também sou teu vassalo
Que também ajoelho- me entre tuas coxas
E bebo- te diligentemente
Sem pressa e tão devotamente
Que de êxtase, ficas frouxa
Por fim, num ato único
Adentro todo o teu ser
Penetrando- te completamente
Bendito esse amor tão místico
Que nos leva a transcender
E um no outro
Nos faz crentes
Obra registrada na Biblioteca Nacional

Atualmente não há comentários relativos a este artigo. Você tem uma honra especial para ser o primeiro comentarista. Obrigado!

Deixe um comentário