Denegação

Frederico Amitrano


Eu jamais desejei você

Nem sonhei com seus beijos

Sua voz me traz bocejos

Meus olhos não querem lhe ver

 

Eu jamais me lembrei do seu perfume

Nem ainda sinto ciúmes

Se alguém olha pra você

Inclusive, eu nem tenho por costume

Ao ouvir o telefone

Ir correndo pra atender

 

Eu jamais desejei voltar

Nem tampouco lhe falar

O quanto eu gosto de você

 

Obra registrada na Biblioteca Nacional

 

Atualmente não há comentários relativos a este artigo. Você tem uma honra especial para ser o primeiro comentarista. Obrigado!

Deixe um comentário